Crise Convulsiva

AVALIAÇÃO INICIAL
  • Inicialmente deve-se excluir outras causas de perda de consciência ou movimento anormal de membro ou face (p. ex. episódio vasovagal, hipotensão postural, arritmia, hipoglicemia, doença cerebral, efeito extrapiramidal por antagonista de dopamina, intoxicações exógenas - álcool)

  • Descobrir se o paciente já teve convulsões prévias

  • Verificar se o paciente faz uso regular e correto de anticonvulsivantes. Além disso, deve-se descartar as possíveis interações medicamentosas (p. ex. corticosteróides reduzem o efeito de carbamazepina e fenitoína)

MANEJO

Tratar as causas reversíveis apropriadamente: hipoglicemia, infecções, hipóxia, doença intracerebral, distúrbios hidroeletrolíticos (hiponatremia, hipercalcemia) uremia, toxicidade da quimioterapia.

  • Exames de admissão: glicemia, hemograma e plaquetas, ureia, creatinina, sódio, potássio, cálcio, magnésio, fosfato, gasometria arterial, TGO, TGP, GGT, FA, bilirrubinas totais e frações, proteína total e frações, TP (TAP), KTTP (PTT), ECG, CK total (ou aldolase)

  • Em casos especiais: TC de crânio, análise do líquor, níveis séricos de anticonvulsivante

Manejo agudo da crise convulsiva
Tratamento de manutenção

Procurar aconselhamento com neurologista - opções incluem iniciar doses de Lamotrigina 25mg 2x ao dia ou valproato sódico 200mg 3x ao dia. Para infusões subcutâneas utilizar midazolam 20-60mg em 24h.